Disfunção de ATM

disfuncao-atm-tratar-salvador-768x512

Disfunção de ATM

A Articulação Têmporo-Mandibular, também conhecida como ATM, é a ligação entre a mandíbula e o osso temporal que permite diversos movimentos, facilitando a deglutição, a mastigação, a fala, a respiração, etc. Patologias da ATM podem criar disfunções, estalidos, crepitações, deformidades dentofaciais, dores na face e dores de cabeça. Diversos tratamentos são possíveis, desde os mais conservadores até cirurgias.

Quem se beneficia com a cirurgia da ATM?

Diversos problemas que podem afetar a articulação têmporo-mandibular. Devido ao fato de as desordens da ATM terem um curso progressivo, o diagnóstico e tratamento precoce podem evitar a evolução da doença.

Algumas desordens da ATM criam sintomas evidentes, mas muitos pacientes podem apresentar sinais imperceptíveis e, em alguns casos, apresentar mais de um dos seguintes sinais:

  • Estalido ou crepitação ao movimentar a mandíbula;
  • Dor na região da ATM ou dores de cabeça;
  • Dor através dos maxilares e dos músculos da mastigação;
  • Dor no pescoço, ombros e nas costas;
  • Tinido ou dores de ouvido;
  • Enjoo, náuseas ou vômitos;
  • Alteração na oclusão dentária (encaixe dos dentes);
  • Alterações na aparência facial;
  • Disfunções dos maxilares como limitação de abertura da boca e perda dos movimentos de lateralidade;
  • Mudanças na dieta com uma tendência à uma alimentação mais líquida ou pastosa.

É importante entender que as patologias da ATM frequentemente causam ou estão em associação com deformidades dos maxilares e faciais. Para pacientes que apresentam estes dois problemas associados, é essencial a correção de ambos distúrbios, objetivando assim melhor função, estética, posicionamento dos maxilares, estabilidade, melhora da dor, entre outros.

Patologias da ATM mais frequentes

Deslocamento do disco articular: é a disfunção da ATM mais comum. Pode causar qualquer um dos sintomas citados acima. O tratamento inicial é clínico, principalmente com a utilização de medicamentos, placas miorrelaxantes e fisioterapia, e com a tentativa de resolução da causa da parafunção (apertamento, bruxismo, etc.). Caso o tratamento clínico não apresente resultado satisfatório, o tratamento cirúrgico por artroscopia ou cirurgia aberta pode ser necessário para reposicionar o disco com a utilização de mini-âncoras.

Reabsorção Condilar: Os côndilos mandibulares sofrem reabsorção (dissolução), fazendo com que a mandíbula fique posicionada mais para trás e os dentes na frente começam a se separar. O tratamento envolve o reposicionamento do disco articular e, em alguns casos, a correção da deformidade dentofacial. Em casos mais severos, a reconstrução da articulação com prótese customizada é a mais indicada.

Hiperplasia condilar (prognatismo mandibular): nessa condição, o maxilar inferior (mandíbula) cresce para frente e desvia para um dos lados criando assimetria e deformidade facial. Esta patologia é causada por sobrecrescimento do côndilo mandibular (estrutura anatômica responsável pelo crescimento desta área). Essa alteração torna-se mais evidente durante a fase de crescimento do paciente. Existem protocolos de tratamento com excelentes resultados.

Osteocondroma: esta patologia é considerada um tumor benigno do côndilo mandibular que causa sobrecrescimento e sobredesenvolvimento de um lado da mandíbula e face, geralmente criando assimetria facial. Pode ocorrer em qualquer período da vida, mas é mais comum durante a fase de crescimento. A simples remoção do osteocondroma elimina as consequências de seu crescimento, restabelecendo assim a simetria facial. A depender da deformidade gerada, a cirurgia ortognática concomitante poderá ser necessária.

Doença degenerativa final da ATM: essa doença inclui patologias como, por exemplo, múltiplas cirurgias prévias na articulação, anquilose, doença autoimune de tecido conjuntivo (artrite reumatóide, artrite juvenil idiopática, artrite psoriática, lúpus, esclerodermia, síndrome de sjogren, espondilite anquilosante), trauma severo com destruição da ATM, artrite reativa, falha com enxerto prévio, falha de implantes. Para estas condições, a substituição da articulação por uma prótese total articular customizada associada ou não à cirurgia ortognática é a melhor opção de tratamento.